Relacionados

  • Reflexão 28-9-2020

    Medo "O medo não é um sinal da ausência de Deus. No nosso medo, encontramos antes a presença de...

  • Reflexão 26-9-2020

    Intercessão "A oração é uma das maneiras de restaurar a dignidade ao diminuído, ao último e ao...

  • Reflexão 25-9-2020

    Compaixão "A compaixão de Jesus também foi controversa. As maneiras como Jesus estendeu a mão...

  • Reflexão 24-9-2020

    Fidelidade "Assim como aqueles atletas a quem foi confiada a tocha olímpica para o seu pequeno...

  • Reflexão 23-9-2020

    Bênção "Mesmo se, pela graça, beleza e bondade que emanam da nossa vida e adoração a Deus, não...

  • Reflexão 22-9-2020

    Têmpora "Reverencie o seu corpo. O seu corpo é o edifício pelo qual entrou na vida, no qual foi...

Newsletter




5.º dia da Novena de Oração da Ascensão ao Pentecostes - "Venha o teu Reino" - 25-5-2020

Leitura:

Todos os cobradores de impostos e outros pecadores se chegavam a Jesus para o ouvir. Por isso, os fariseus e os doutores da lei o criticavam: «Este recebe pecadores e come com eles.» Jesus apresentou-lhes uma parábola: «Suponham que algum de vós tem cem ovelhas e perde uma delas. Não deixará logo as noventa e nove no deserto, para ir à procura da ovelha perdida até a encontrar? Quando a encontra, põe-na aos ombros todo satisfeito e, ao chegar a casa, diz aos amigos e vizinhos: “Alegrem-se comigo porque já encontrei a minha ovelha que andava perdida.” (Lucas 15,1-6 (ver também Mateus 18,12-14))

Reflexão:

O Deus amoroso persegue-nos. Ele deixa as noventa e nove para encontrar uma. De uma perspetiva racional, faria melhor em guardar as noventa e nove e abandonar aquela que perdeu porque isso seria muito mais rentável. Mas, na verdade, o amor de Deus não busca lucro - cada ovelha por si só vale a pena ser procurada. Às vezes, podemos ser exclusivos sobre as pessoas com quem nos queremos importar e mostrar a amor. No versículo 2, lemos: Por isso, os fariseus e os doutores da lei o criticavam: «Este recebe pecadores e come com eles.». Mas o Jesus que reivindicamos seguir não tinha nenhum requisito para com aqueles com quem comia. Os pecadores e os cobradores de impostos eram pessoas de quem Ele veio ao encontro. Jesus foi para a casa de Mateus – Mateus, o coletor de impostos - para jantar com ele. Jesus esforçou-se por sair do seu cantinho e ter tempo para comer com um grupo de pessoas que a sociedade rejeitava. Do mesmo modo, Jesus deixou o céu e desceu à terra, não apenas para jantar connosco, mas também para morrer por nós. Ele fez de tudo para nos encontrar.

Oração:

Deus de amor, obrigado por teres vindo ao nosso encontro com o Teu amor. Por favor, vem também ao encontro dos meus amigos.

Acção:

Em vez de apenas esperar que as pessoas venham à igreja, poderíamos imitar Jesus e deixar as nossas zonas de conforto para estar com elas?

https://www.youtube.com/watch?v=ZxyFRW9CSI8