Relacionados

  • Reflexão 11-7-2020

    Companhia "A promessa de Deus é a promessa da companhia divina, diante das adversidades. Seja o...

  • Reflexão 10-7-2020

    Comunidade "São precisamente os indivíduos que achamos difíceis que podem, muito bem, ser os...

  • Reflexão 9-7-2020

    Injustiça "Porque é que Deus se importa com a política e injustiça sistêmica? Porque Deus...

  • Reflexão 8-7-2020

    Pacto "A aliança de Deus é com a humanidade como um todo, e ser humano é a única qualificação. A...

  • Reflexão 7-7-2020

    Arrependimento "Arrepender é a primeira palavra da proclamação pública de Jesus, na sua mensagem. A...

  • Reflexão 6-7-2020

    Medo "Jesus promete que nos encontrará na experiência do medo. Ele diz-nos: "lembre-se, estou...

Newsletter




9.º dia da Novena de Oração da Ascensão ao Pentecostes - "Venha o teu Reino" - 29-5-2020

Leitura:

Levantou-se e voltou para o pai. Mas ainda ele vinha longe de casa e já o pai o tinha visto. Cheio de ternura, correu para ele, apertou-o nos braços e cobriu-o de beijos. O filho disse-lhe: “Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já nem mereço ser teu filho.” Mas o pai ordenou logo aos empregados: “Tragam depressa o melhor fato e vistam-lho. Ponham-lhe também um anel no dedo e sandálias nos pés. Tragam o bezerro mais gordo e matem-no. Vamos fazer um banquete, porque este meu filho estava morto e voltou a viver, estava perdido e apareceu.” E começaram com a festa. (Lucas 15,20-25)

Reflexão:

Quão alegre fica Deus quando nos recebe de volta. Podemos ter ideias tão distorcidas de Deus como se Ele fosse um ditador irado ou diretor de detecção de falhas. Mas na verdade, Deus é amor e a sua atitude em relação a nós é compaixão e graça. Mesmo quando estamos longe Dele, Ele está disposto a correr e vir ao nosso encontro, como fez este pai. Vejam como diz: “Mas ainda ele vinha longe de casa” - o pai não esperou para que o filho chegasse ao pé dele, mas correu e encurtou a distância. Deus faz isto. Deus não espera: Ele vem a nós com o Seu amor e estica os braços para nos abraçar, dando-nos as boas vindas. Deus está, neste momento, a abrir os Seus braços, descendo a rua à espera que os teus amigos voltem para casa.

Oração:

Deus de amor, coloca por favor os meus amigos na estrada em que Te vejam vir ao seu encontro. Agradeço-Te por nos receberes com alegria por mais longe ou por mais tempo que tenhamos estado afastados. Amém.

Acção:

Pensa nas vezes em que foste magoado por alguém ou nas vezes em que entraste em desacordo com alguém. Como poderás estender a tua mão e ir ao seu encontro, em vez de esperares que venham ter contigo?

https://www.youtube.com/watch?v=enx2kAJixUQ&feature=youtu.be